Tributo à Mata Atlântica (B)

O cantor e compositor Marcelo Ganem lança o seu mais novo CD, Tributo à Mata Atlântica I, na praça de alimentação no Jequitibá Plaza mata-atlanticaShopping em Itabuna. O cantor e compositor Marcelo Ganem lança o seu mais novo CD, Tributo à Mata Atlântica I, na praça de alimentação no Jequitibá Plaza Shopping em Itabuna. O show marca a volta aos palcos de um dos mais talentosos e reconhecidos artista do Sul da Bahia, dono de um trabalho profundamente identificado com a cultura regional.

Este é o terceiro disco de Marcelo Ganem. Número pouco expressivo para quem valoriza a quantificação das coisas e dos homens. Para o compositor, no entanto, é um detalhe sem muita importância. Quantidade para ele estar subjugada pela qualidade que busca em tudo o que faz. A vida e a obra de Marcelo Ganem reflete esse e muitos outros princípios que o tornaram um artista singular.

Singular quando se coloca diante do mundo e do mercado, mas plural no trato da música. Tributo à Mata Atlântica I revela um Marcelo Ganem integrado com a natureza, os amigos e, sobretudo, o seu tempo. O CD, que demorou cinco anos para chegar as lojas, mistura antigas e comoventes canções como Serra do jequitibá e Jorge e Zélia, e trabalhos inéditos como a parceria com o amigo Gideon Rosa (blue jeans) e os poemas musicados de Ivo Fontes (Adeus Querida) e Clélia Madureira (Canção do Rio).

Tributo à Mata Atlântica I é a primeira parte de um trabalho que envolve a gravação de dois Cds e a realizações de shows pelo Brasil e, quiçá, pelo mundo. A obra sintetiza a face mais revelada e lapida de Marcelo Ganem, sua alma de ecologista nato, de gente do mato de quem acredita nos espíritos “pés de pau”, como ele chama as árvores. A anos, o artista se embrenha mata adentro, ouvindo sons da natureza e estremecendo diante da destruição . Começou quase sozinho. “ agora, parece que as pessoas resolveram acordar e cuidar desse patrimônio valioso que foi preservado quase que por acaso. O que nós temos aqui, o que enxergamos do alto dessas serras é um bem que governo nenhum poderia nos conceder”, filosofa, comemorando o crescimento da consciência e da ação ecológica que se verifica na região.

A visão do alto da serra de que fala Marcelo Ganem é, realmente, exuberante. Do seu pedaço de chão na serra do Macuquinho se vê uma dose generosa de mata e uma bela aquarela de Buerarema, como um minúsculo nicho urbano abraçado pelo verde imponente da Mata Atlântica. O artista se deleita com sua visão de paraíso, comemora a adesão as causas preservacionistas, mas não esconde a preocupação com o futuro. “A gente tem que cuidar também das milhares de pessoas que ainda vivem debaixo da floresta sobrevivendo a duras penas. Esse homem precisa estar assistido, ter dignidade, comida, educação”, defende.

Depois da apresentação no shopping Jequitibá se apresenta no Ginásio de Esportes de Buerarema, na noite do dia 27 deste mês, sob a chancela da TV Santa Cruz, que leva ao município o Projeto Encontros Musicais. No dia seguinte, 28, o artista segue para Itacaré, onde mostra seu novo trabalho ao seleto grupo de ambientalista, jornalistas e autoridades regionais que participam de simpósio sobre a Mata Atlântica promovido pela Amurc.

Vera Rabelo (Jornalista)

Posted in Notícias.